BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista17 Jan 2018


Colunistas


Sobre caminhões I
Sábado,  20 MAI 2017
Tamanho dos caracteres

 Como já foi amplamente noticiado, no ano passado fizemos um projeto de lei (PLC n° 32) para proibir que caminhões com excesso de cargas continuassem usando nossa cidade como ‘atalho’ para fugir do pedágio e da fiscalização. Centenas e centenas desses caminhões destroem o pavimento de nossas ruas e avenidas e atrapalham o trânsito local.

Nosso projeto previa que os caminhões que são da cidade, e que estejam trabalhando aqui ou na rota, não seriam afetados pela proibição e teriam livre trânsito.

Mesmo assim, a Câmara passada rejeitou o projeto com apenas 7 votos favoráveis e 12 contrários. Como não podia reapresentá-lo no mesmo ano (a lei proíbe), e como fui reeleito, protocolei novamente o projeto em 2017 na Câmara.

2 – Sobre caminhões II

Logo nos primeiros dias do novo mandato, o prefeito e seu líder na Câmara me ligaram para dizer que apoiavam meu projeto. A vereadora Beth Chedid entrou como coautora, promovendo reuniões com moradores e comerciantes do Taboão. Fizemos reunião eu, Beth e os secretários Bertin e Botelho, e combinamos que o projeto (fizemos um texto parcial) seria discutido após uns três meses, tempo suficiente para a Prefeitura acionar o DER (sobre placas e sinalização) e a empresa de pedágios (sobre possível compensação financeira ao município).

Por três meses aguardei, e quando comecei a cobrar a definição (precisávamos reunir para chegar a definição da nova redação do projeto), fui surpreendido pela notícia de que a Prefeitura iria fazer um decreto a respeito, ou seja, o assunto não será discutido, através de Projeto de Lei, na Câmara.

3 – Sobre caminhões III


Quando vi que iriam fazer um decreto sobre os caminhões, fiquei surpreso (já que não fui avisado, consultado, ou mesmo comunicado):

O decreto é vago, fala de restrições de trânsito de caminhões na Variante do Taboão, Imigrantes (do Taboão até o trevo da entrada para a Bragança/Socorro, e Avenida Alberto Diniz). Mas não dispõe sobre exceções. Os caminhões que estão em rota normal ou trabalhando poderão transitar livremente? Espero que sim, seria absurdo o contrário. Há 60 dias para regulamentar.

Se for uma mera questão de paternidade da medida, não me importo com isso, afinal o que importa é que as coisas funcionem.

4 – Parado: até quando?

Continuam as reclamações. Prefeitura não está aprovando nem apreciando (nem rejeitando) obras, licenças, empreendimentos imobiliários, enfim... nada.

Tudo está parado. Sabemos que há problemas com um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) de acessibilidade, e a forma de cumpri-lo. Sabemos que o Plano Diretor tem que ser refeito, mas se formos esperar um novo Plano Diretor, ficaremos mais de um ano com tudo parado. Isso é terrível para a economia da cidade, empreendedores, comerciantes e a população em geral.

5 – Obra no lago

Até que enfim. Depois de quase um ano e meio, a Prefeitura resolveu arrumar a grade que caiu dentro do Lago do Taboão. A atual administração tomou providências em quatro meses e meio.
E o desassoreamento do Lago? Sai ou não?

6 – Zona Azul


Falta de zona azul está deixando a questão de estacionamento ainda mais grave. Tem gente que ‘larga’ o carro o dia todo na mesma vaga.

7 – Saneamento básico

Sobre saneamento básico, o Brasil está ainda com muitos problemas.

Quatro milhões de brasileiros sequer tem um banheiro, 83,3% da população tem água tratada, mas só 50,26% tem coleta de esgotos. Menos de 20% dos municípios tratam mais de 80% de seus esgotos. Diariamente, cerca de 2,5 mil m³ são despejados sem tratamento, causando degradação de rios e mares (Fonte – Revista Planeta – edição 530).

8 – Sabesp – Bragança

Em Bragança a Sabesp opera desde 1978 e está sem contrato desde fevereiro de 2009 (8 anos). Na administração passada houve uma proposta de renovação que foi frustrada pela maioria dos vereadores.

A nova administração tenta a renovação, mas obviamente terá de fazê-la em condições melhores que a proposta anterior.

9 – Roundup?

No Brasil, embora totalmente inadequado, usa-se o Roundup (glifosato) para limpeza de mato. É um herbicida que, mesmo em pequenas quantidades, pode ser nocivo à saúde humana e de animais (pássaros, cães, gatos, etc.). Estamos pedindo informações à Prefeitura se usa tal produto.

10 – Rápidas


1 – No cruzamento da Rua Rinzo Aoki com a Alameda Quinze de Dezembro, perto do Tanque do Moinho, continua ocorrendo acidentes. E a Prefeitura? Nada ...

2 – Tanque do Moinho cada vez mais assoreado. Ruas do bairro acima, cheias de erosão, fazem a terra escorrer para o lago.

3 – Silêncio total quanto à reforma e restauração do prédio do antigo Colégio São Luiz.

4 – Prefeitura tapou buracos na Alameda Alemanha, Jardim Europa e no caminho do Bosque da Pedra.

11 – Folclore: “medalha”

Fui ao café da tarde, relativo ao Dia das Mães, promovido pela OAB de Bragança, na sexta-feira, dia 12 de maio. Foi um excelente evento. Eu sabia que haveria preponderância de mulheres lá, mas ao chegar observei que tinha umas 100 pessoas, e apenas três do sexo masculino.

Fiquei meio apreensivo até que uma advogada brincou comigo:

- Fique a vontade. Vai ter palestras e sorteios de prêmios. E se a gente inventar de escolher o advogado mais bonito aqui presente, você garante pelo menos a medalha de bronze.