BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista21 Jan 2018


Colunistas


Buracos
Sábado,  06 MAI 2017
Tamanho dos caracteres

 Após quatro meses de administração, a Prefeitura não conseguiu reparar ruas e avenidas que estão em péssimas condições.

A Avenida Alziro de Oliveira, a Avenida Salvador Markovicz (que leva ao Bosques da Pedra), e a Rua Santa Helena (no Centro) estão em condições deploráveis.

2 – Tudo parado?

Várias pessoas nos reclamaram que na Prefeitura (Planejamento e, ou, Obras?) os projetos de reforma e de construções comerciais estão sem definição. Alega-se que estão definindo os critérios (ou formatos) de análises dos projetos. Enquanto isso... tudo está parado.

Tentam conversar com o Secretário do Planejamento, mas informam que ele não tem agenda para atendimento ao público.

3 – Assoreamento no Tanque do Moinho


Acima do Clube de Regatas Bandeirantes, há ruas sem pavimento, com enorme erosão, que causam assoreamento no Tanque do Moinho.

Grande quantidade de terra, na época das chuvas, escorre para o lago.

O problema é cada vez mais grave. O momento adequado de se arrumar o local é agora, que não é época de chuvas.

4 – Estradas da região: novela

Bragança-Jornal cobrou em editorial, e em manchetes, as promessas não cumpridas feitas em relação a rodovias da região, em especial, a Bragança – Socorro e Bragança – Amparo. Já fizemos a mesma cobrança na Câmara Municipal.

O ideal é que o assunto não seja esquecido. Talvez, envergonhados pelas constantes cobranças e protestos, os homens do DER, Governo do Estado e seus apoiadores, tomem “vergonha na cara” e cumpram o que prometeram e anunciaram na cidade, principalmente em anos eleitorais.

5 – Festa do Peão

Festa do Peão. Mais uma vez um enorme sucesso de público, com shows de artistas renomados, os mais famosos no momento. Prefeitura recebeu mais de 500 mil reais para cessão do Posto de Monta (muito mais que nas festas anteriores). Mas tivemos vários problemas, tais como:

1-) A exposição Agropecuária foi muito fraca;

2-) Os seguranças eram truculentos (além disso revistavam as pessoas na saída, o que é ilegal);

3-) Em algumas noites, o som era altíssimo, incomodando moradores de vários bairros da cidade;

4-) Num camarote, parte cedeu, e uma pessoa caiu, felizmente com ferimentos leves;

5-) Preços de estacionamentos muito caros;

6-) Cambistas de camarote e ingressos, agiram à vontade;

7-) Um dos shows (da Maiara e Maraisa) foi muito rápido;

Como sempre, como consequência, a maior parte do comércio ficou às moscas, fora do recinto do evento. Saiu muito mais dinheiro da cidade, do que entrou.

6 – Falecimentos

Nas últimas semanas faleceram, além do cantor Jerry Adriani, o grande compositor Belchior, ambos com 70 anos de idade. Li no BJD de Quarta-Feira que faleceu também (com 63 anos) o ex-jogador de futebol Zé Eduardo, do Corinthians. Zé Eduardo morou em Bragança, durante a infância e adolescência. Seu pai era Pastor da Igreja Presbiteriana local. Estudou comigo no antigo GEMABA (hoje EEMABA), era meu amigo, assim como do Carlinhos Picarelli, que era da mesma sala de aula.

7 – Folclore: Alienígena

O professor “Rama” era famoso na faculdade de Direito local. Excelente mestre, se destacava, além dos seus grandes conhecimentos em Direto Penal, por ter um rico vocabulário. Usava palavras que, por vezes, poucos conheciam o significado.

Certa vez ele falava sobre a criminalidade em toda América do Sul, e chamando a uma aluna que era argentina, perguntou:

- Você, que é alienígena, o que acha?

A garota ficou vermelha, e saiu da sala, brava... parte dos alunos ria, outros ficaram perplexos. Lembraram de marcianos, ETs, habitantes de outros planetas.

Rama explicou:

- Alienígena significa estrangeiro(a), seus ignorantes.