BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista22 Jan 2018


Colunistas


E assim vamos vivendo nesta imensa arena...
Sábado,  04 MAR 2017
Tamanho dos caracteres

 Avaliação do carnaval aqui na nossa Bragança, de zero a dez, damos dez para o Carnapraça e para o desfile das escolas de samba. A animação foi geral. Podemos dizer que o carnaval foi resgatado com sucesso total.

O prefeito Jesus disse que o povo precisa de alegria e a alegria foi dada. Parabéns ao secretário de Cultura e Turismo Cleber Centini, dono da batuta, que tão bem conduziu o evento e aos demais secretários que deram apoio, e aos servidores municipais presentes no antes, no durante e no depois.

Parabéns também aos presidentes das Escolas de Samba, aos organizadores dos Blocos carnavalescos e aos numerosos foliões, “os principais”; sem eles não haveria carnaval. Pode-se plagiar: “O carnaval emana do povo”. Pois é, só que nós, “povo”, desconhecemos a nossa importância. Somos iguais aos elefantes que na arena do circo obedeciam às chibatadas do minúsculo domador.

E ASSIM VAMOS VIVENDO NESTA IMENSA ARENA, ONDE “GRUPOS” SE DEGLADIAM PELO “PODER”. E NÓS, O POVO?

Precisa responder? A resposta está materializada em todo lugar, está escancarada a olho nu. Só não enxerga quem não quer, incluindo os protagonistas da presente situação, que tentam tapar o sol com a peneira com o objetivo único de se manterem nos poderosos cargos.

Será que os 12 milhões de brasileiros desempregados, mais aqueles que nunca tiveram empregos, não é um alerta mais do que suficiente para se concluir de que o Brasil vai mal, está improdutivo, está depressivo, a renda cai, a dependência das instituições públicas aumentam?

A contenção de gastos precisa começar na cúpula dos Poderes, no corte geral das mordomias, dos altíssimos salários, tem que se enxugar a máquina administrativa, extinguir os excessos de cargos de confiança que burlam as leis. Não se deve recompor o “caixa” às custas do sacrifício do povo. Como disse o Alexandre Garcia: em janeiro/17, os deputados federais, mesmo em férias, gastaram R$10 milhões! Como? Ninguém fiscaliza?

Cadê pelo menos o Presidente da Câmara? Está usufruindo também? Isso não está certo. Como não está certo os vereadores de nossa Bragança terem um salário de R$12 mil mensais, aprovados por eles mesmos na legislatura passada e aceitos de bom grado pelos atuais e por uns poucos reeleitos.

E nós, povo, sentimo-nos desrespeitados face à manifestação contrária apresentada e justificada na Tribuna da Câmara Municipal, pelo advogado e colunista deste jornal, Jésus Flávio Fanuchi Bueno, instruída com um número significativo de cidadãos signatários. E daí? Todos se aquietaram? Dissemos: “Todos”. Estamos indo para o 3º mês da presente legislatura e as sessões apresentam-se vazias. E nós pagamos!

E CADÊ O NOSSO “COMITÊ DE CIDADANIA”?

Em outros municípios os cidadãos não permitiram os aumentos abusivos dos “salários” dos vereadores. Bons exemplos servem de modelos.

Propomos que todos nós acompanhemos a atuação dos vereadores, a internet trouxe a Câmara para nossa casa e também os atos do prefeito, via assessoria de imprensa e a atuação do secretariado municipal.

Também não podemos nos esquecer dos Conselhos Municipais, que têm a função importante de deliberar sobre os atos da pasta correspondente, de propor reivindicações da comunidade ao Poder Executivo e fazer acompanhamento. Não são funções decorativas.

Pois é, a nossa CONVERSA é repetitiva. A repetição também leva à aprendizagem.

A C O R D A B R A G A N Ç A ! ! !