BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista17 Jan 2018


Colunistas


Invenção do órgão - Parte II
Sexta-Feira,  10 FEV 2017
Tamanho dos caracteres

 (continuação da edição anterior)

Órgão é constituído com certo número de tubos: o ar proveniente dos foles produz um som de grande volume (vox copiosissima) ao passar por eles. O som pode ser alterado através do uso de peças de madeira, que controlam o fluxo de ar em que são manipulados pelo executante. Este instrumento possui uma música possante e agradável (grandisonam et suavissimam cantilenam).

A introdução do órgão na cultura musical do Ocidente ocorreu durante o século IX, em 812, quando os embaixadores do Imperador Miguel II Rhangabes, de Bizâncio, trouxeram um órgão para a corte de Carlos Mágno. Este, tanto se impressionou com o instrumento que deu ordens para que ele fosse estudado e que um exemplar fosse construído para ser usado em sua corte, mas o projeto só foi completado catorze anos depois.

As técnicas de construção do órgão se desenvolveram durante a Idade Média. Entretanto, há uma diferença fundamental entre as estruturas do órgãos medievais e os instrumentos modernos: na Idade Média, os tubos eram todos do mesmo diâmetro; no moderno, esta relação permanece constante em cada um dos registros, criando um timbre e qualidade sonora mais uniformes.

Foi na Idade Media que órgão adquiriu conotações religiosas com as quais ainda hoje é associado. Seu uso original era como instrumento secular e esta função secular foi de certa forma revitalizada através do desenvolvimento de um vasto repertório durante os séculos XV e XVI. Consistia de obras vocais “motetos e chansons”.

A expansão do repertório, no entanto, levou ao desenvolvimento de um estilo de escrita mais idiomática para o teclado, o que diferenciou entre obras especialmente escritas para cravo ou para órgão.

O primeiro período de desenvolvimento do repertório organístico ocorreu durante o séc.XIV na França, Itália e Inglaterra, mas esta contribuição terminou no século XV quando a Alemanha assumiu lugar de absoluto destaque na produção de obras organísticas. Durante o século XVI a música litúrgica para órgão mais uma vez assumiu lugar de destaque. O repertório religioso foi o fator decisivo para o florescimento da música organística deste período.

CURSO


A Sociedade Ítalo-Brasileira de Bragança Paulista será palco do Recital de Canto do “Curso Livre de Música da Prof.ª Odila Baisi, que ocorrerá no dia 18 de fevereiro próximo (sábado), às 20h00, com entrada franca. Retire seu ingresso gratuito antecipadamente e garanta sua presença. Maiores informações na próxima coluna de Música do Bragança Jornal Diário.