BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Só não me vá à Casa Espírita.....
Sábado,  07 JAN 2017
Tamanho dos caracteres

 A vida é realmente cheia de surpresas.... E o mais interessante é que cada momento vivido, normalmente, não dá direito a “replay”. Estar preparado para cada situação que presenciamos é um desafio para cada minuto ou segundo em que estamos encarnados.

Muito bem, essa foi a situação que me deparei ao ouvir a orientação de uma mãe “preocupada” para sua filha que estava saindo de casa..... “Só não me vá à Casa Espírita”.

Certamente, dependendo da nossa escolha pessoal, existem vários lugares que podemos frequentar, afinal temos o nosso livre arbítrio e “ainda” o nosso direito de ir e vir.

Há igrejas, orfanatos, hospitais, asilos, casas de dependentes químicos, penitenciárias, todos locais esses onde podemos trabalhar em benefício do próximo e exercer trabalho voluntário.

Há locais de descontração e diversão, tais como visitar um amigo em sua residência, nos reunirmos ao som de um violão bebericando algo gelado em algum barzinho, na frente de um lago ou de uma praia, comermos uma pizza, jantarmos, namorarmos, passearmos de carro, etc, etc e etc.

Há ainda algumas outras opções não muito nobres, como uma festa “rave”, uma festa onde a droga e a bebida rolem solto, junto com o sexo desvairado e por aí afora.

Certamente, locais para frequentarmos, de acordo com a nossa índole, nosso momento interior e as nossas possibilidades financeiras não faltam. A escolha é sempre nossa.

Mas qual seria a situação que nos depararíamos se optássemos por frequentar uma Casa Espírita. O que lá encontraríamos?

Vou tentar descrever de uma forma objetiva, considerando o pequeno espaço desta coluna, principalmente para aqueles que nunca tiveram a oportunidade de lá estar. Vamos começar inicialmente, descrevendo uma lista não exaustiva do que certamente NÃO encontraremos em uma Casa Espírita que segue a Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec, sem qualquer juízo de valor ou qualificação dos itens adiante citados.

Lá certamente não encontraremos: Velas, batuque, sacrifício de animais, rituais, pessoas com roupas não usuais, Pastores, Padres, Pais ou Mães de Santo, música alta, incensos, imagens, velas acesas das mais diversas cores, altares, missas, pregações, enfim, nada que nos lembre religiões dogmáticas (católicos, evangélicos, protestantes, batistas etc), afros, ou espiritualistas, mais uma vez e para que não restem dúvidas, referências essas sem qualquer tipo de restrição, preconceito ou qualificação, mas apenas para fins de compreensão e referência àqueles que não estão acostumados com o tema.

Ao adentrarmos em uma Casa Espírita que segue a Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec, o que encontraremos então? Seremos recebidos pela espiritualidade maior, em um ambiente de paz, harmonia e amor.

Tarefeiros da Casa nos receberão e nos orientarão caridosa e carinhosamente sobre as rotinas da Casa, incluindo, mas não se limitando a atividades tais como, entrevistas de levantamento de informações e de orientação ao frequentador da Casa, Cursos onde se realizam os Estudos do Evangelho e da Doutrina Espírita, Palestras onde se apresentam temas relacionados ao Evangelho e aos ensinamentos morais deixados pelo Cristo, Assistência Espiritual por meio de Passes Espirituais, Magnéticos e Orações.

Todas as atividades desenvolvidas por tarefeiros do Plano Material que em fina sintonia com os tarefeiros do Plano Espiritual responsáveis pela Casa Espírita proverão a melhor orientação e assistência a cada um de nós que lá nos dispusermos a ir, na busca de amparo para as nossas dores físicas e morais.

Em resumo e de forma bastante simplista, é isso que encontraremos ao adentrarmos em uma Casa Espírita..... Certamente buscar uma Casa Espírita, uma Igreja, um templo, etc, significa nos depararmos com um ambiente muito mais preparado do ponto de vista de vibrações ligadas ao bem e ao amor, sendo opções bem melhores, na minha humilde maneira de ver as coisas, se comparados a outras opções de locais a serem frequentados, onde infelizmente, ainda, o mal, os vícios, a sensualidade e os desvios humanos se apresentam.

Tudo na vida é uma questão de escolha, mas para bem escolhermos também precisamos estar bem informados. Porém, a escolha de eventualmente frequentar uma Casa Espírita em detrimento de tantos outros locais, não me parece, definitivamente, ser uma decisão tão preocupante ou até mesmo tão abominável assim. Tudo é uma questão de informação e de quebra de paradigmas e preconceitos....
.
A menos que acreditemos que a nossa religião e a nossa igreja sejam os únicos locais onde Deus, o amor e a caridade estejam presentes; mas aí a conversa já fica para um outro artigo.

Por fim, vale lembrar as palavras de Allan Kardec: “Ser espírita não é ser nenhum religioso, é ser cristão. Não é ostentar uma crença, é vivenciar a fé sincera. Não é ter uma religião especial; é deter uma grave responsabilidade. Não é superar o próximo, é superar a si mesmo. Não é construir templos de pedra, é transformar o coração em templo eterno.”

Um ótimo final de semana a todos, com o amor do Cristo em vossos corações.

Envie suas dúvidas, comentários, críticas e sugestões para o Autor: Silney de Souza, pelo email: silney.souza@yahoo.com.br