BJD
31 máx 17 min
BragançaPaulista22 Jan 2018


Colunistas


Natal
Sexta-Feira,  16 DEZ 2016
Tamanho dos caracteres

 As grandes solenidades do Natal e da Páscoa, que celebram os acontecimentos fundamentais da História da salvação, constituem o duplo eixo em torno do qual se organiza a Liturgia católica.

Ainda sob o impacto da ressurreição de Cristo, a Igreja nascente celebrava inicialmente apenas a Páscoa, semanal e anualmente, mas se tem hoje informações seguras de que já nos inícios do século IV era comemorada a Encarnação, o Natal do Senhor Jesus.

A fixação do dia 25 de dezembro deriva tanto da cristianização de uma festa pagã do “deus sol invencível”, instituída pelo imperador. Aureliano em 274, no solstício de inverno, como da hipótese de que, tendo acontecido a concepção de Jesus no equinócio da primavera (25 de março), seu nascimento seria, consequentemente, por volta de 25 de dezembro, quando o sol retorna seu movimento de “ascensão”. E, de fato, para os cristãos daquela época, como para os de hoje, o Cristo é a “Luz do mundo” (João 8, 12), a “Luz verdadeira que ilumina todo homem” (João 1,9).

Alguns dos cantos da Liturgia do Natal são interpretados pelo coro dos Monges do Mosteiro da Ressurreição, em Português e Latim (foram gravados no Mosteiro da Ressurreição no Paraná em Outubro de 1994 e mixados nos estúdios do Rio de Janeiro)

Que o amor fraterno invada os corações neste Natal e se estenda por todo o Ano Novo!

Boas Festas a todos.
Esta coluna retornará em Fevereiro de 2017.