BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista18 Jan 2018


Colunistas


Curiosidades sobre artistas e suas obras: Rembrandt e A Ronda Noturna
Quarta-Feira,  03 JUN 2015
Tamanho dos caracteres

 A obra “A Ronda Noturna” é uma das principais pinturas de Rembrandt e uma das mais conhecidas no mundo. As dimensões originais desta tela são: 3,88 x 4,79m; foi pintada no ano de 1642 sob encomenda da Corporação dos Arcabuzeiros e destinada à grande sala Kloveniersdoelen, o quartel general da Guarda Cívica, em Amsterdã. Por esta obra Rembranbdt recebeu cerca de 1.600 florins.

A quantia foi reunida com aportes individuais de dezoito dos personagens do quadro. Eles compareceram um a um ao atelier do artista para serem retratados, e, posteriormente, Rembrandt organizou a montagem da obra. Na obra foram pintados 28 adultos, 3 crianças e um cachorro, todos em um dinâmico movimento desordenado, propositalmente, é claro.

Por trás do homem que ergue o estardarte, em terceiro plano, observa-se a presença de um homem de baixa estatura, cuja boina lhe cobre um olho e grande parte da testa. É Rembrandt, autorretratato.

A menina,com uma iluminação intensa, que carrega um galo na cintura, embora a princípio seja uma criança, seu rosto tem traços da esposa do artista, Saskia, que faleceu no ano em que ele elaborava a tela. Entendem os estudiosos tratar-se de uma homenagem que fez à falecida esposa.

A milícia retratada era constituida por bravos burgueses de Amsterdã. Nela imperava a vontade, não a disciplina. O personagem central é o capitão Frans Banningh Cocq, em traje escuro com uma faixa vermelho-alaranjada, contrastando com o branco. O homem em traje dourado e à direira do protagonista (para quem olha a tela de frente) é o tenente Williem van Ruytenburch.

Os personagens pagaram a Rembrandt de acordo com sua posição e importância na tela. Até o aparecimento das mãos e sua posição determinavam o aumento ou não da remuneração cobrada.

Uma curiosidade: Por mudança de lugar de exposição, ao longo do tempo, a obra foi “mutilada” para adequar aos espaços. Foram cortados do original 29 cm no sentido vertical, sendo que o piso que existia à frente do protagonista sumiu e o pé do mesmo roça a borda da tela.

Mais 30 cm foram cortados à esquerda e mais 10 cm à direita. Com isso “sumiram” do quadro original dois homens e uma menina pintados por Rembrandt, bem como a imagem do timbaleiro no lado direito. Graças a cópias feitas e uma pequena aquarela pintada antes de 1665, em um album do capitão Cornelis Bicker, marchand de Amsterdã, pode-se ter o conhecimento completo da obra.

À parte da mutilação do século XVIII, com os cortes que fizeram na tela para adaptá-la ao tamanho do novo local de exibição, A Ronda Noturna foi alvo de alguns ataques de vandalismo. A 13 de fevereiro de 1975, um desequilibrado mental atacou a obra com uma faca, fazendo-lhe numerosos cortes em ziguezague. A tela foi restaurada com êxito, embora ainda possa apreciar-se o rastro deste atentado.

Em 1985, um visitante do museu aspergiu a pintura com um aerossol de ácido que levava oculto. A rápida intervenção dos guardas de segurança e a água que lhe foi pulverizada neutralizaram o ácido que, felizmente, não chegou a tocar a tela e somente danificou o verniz. De novo, a obra foi restaurada por completo.

Mapa Cultural Paulista

A fase municipal do Mapa Cultural Paulista será realizada até 10 de junho próximo, pelas regras da Cultura do Estado. É o prazo final em que a Secretaria de Cultura de nossa cidade deve escolher, por competência, os nossos representantes, e informar à organização do evento, porém, até agora não vimos nenhuma movimentação para isso. Será que este ano não vamos indicar ninguém?

Nos anos anteriores, apesar de diversas categorias de manifestações artísticas, tivemos representantes em apenas algumas. Este ano, pelo que parece, Bragança não participará. Não compreendo o por que, uma vez que esse evento anual é importantissímo, revela muitos artistas talentosos que vivem ao anonimato e veem nele uma oportunidade para delanchar na carreira.

A cidade de Pinhalzinho já está escolhendo seus artistas em algumas categorias. Recebi o convite para ajudar na seleção dos que a representarão.

Primeiro, os indicados na fase municipal concorrem na fase regional; se conseguirem passar, a proxima fase será a final (estadual). As manifestações artísticas do Mapa Cultural são:

Artes Visuais (nesta expressão artística o objetivo é indicar representantes das categorias de Artes Plásticas - pinturas, desenhos, gravuras, objetos tridimensionais e instalações, Desenho de Humor e Fotografia); Canto Coral (o objetivo é valorizar e estimular a expressão musical do canto coletivo por grupos vocais dos mais diversos estilos e gêneros do Estado de São Paulo. São contempladas as categorias de Coro Tradicional e Coro Cênico); Dança (as categorias contempladas nesta expressão artística são: Dança Clássica, Dança Contemporânea, Jazz, Popular, de Rua ou Sapateado); Literatura (nesta expressão artística o objetivo é indicar representantes das categorias de Poesia, Conto e Crônica); Música Instrumental (o objetivo da expressão Música Instrumental é valorizar e estimular a expressão musical por instrumentistas e conjuntos instrumentais dos mais diversos estilos e gêneros do interior do estado de São Paulo. Neste caso são contempladas as categorias de Solista Instrumental e Conjunto Instrumental); Teatro (nesta expressão artística poderão participar representantes dos estilos Teatro Adulto, Teatro Infantil e Teatro de Rua); Vídeo (o objetivo é indicar representantes da expressão Vídeo nas categorias de Animação, Documentário e Ficção).

Exposição de Joan Miró

O Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo, está promovendo, desde 24 de maio, uma exposição imperdível do grande mestre Catalão: Joan Miró. São 112 obras, entre pinturas e esculturas, sob o título de “Joan Miró – a força da matéria”.

Miró nasceu em Barcelona em 1893 e faleceu em Palma de Maiorca, em 1983, perto dos cem anos. Teve, em sua carreira, períodos no Surrealismo, Arte Moderna e Dadaísmo. Ao lado de Pablo Picasso, Salvador Dalí, foi um dos maiores artistas do século XX.

Orquestra Sinfônica na Casa de Cultura

A Orquestra Sinfônica de Bragança Paulista estará se apresentando na Casa de Cultura (Sociedade Sinfônica Amigos da Arte Musical), no próximo dia 6 de junho, a partir das 21 horas, em seu 275º concerto oficial. Destaque para Lars Hoefs no violoncelo e regência de Eduardo Ostergren. Os ingressos podem ser adquiridos no Europa Shop e na Banca do Pardal.

A primeira vez que assisti a uma apresentação de uma Orquestra Sinfônica, fiquei maravilhado, extasiado. É simplesmente emocionante ouvir uma apresentação.

A degradação musical está aos nossos ouvidos, a céu aberto; todos os dias, na rua, nos carros que tocam aqueles lixos que chamam de música, a volumes extra decibéis, emporcalhando nossa audição, a contragosto.

Há mais de 200 anos, Beethoven, Chopin, Bach, Schubert, Wagner, Mozart e outros gênios exibiam o que poderia haver de melhor em música; o auge, o máximo, foi atingido. De lá para cá o que se produz é infinitamente inferior e, quando temos oportunidade de ver e ouvir apresentações como essa anunciada, é um previlégio. Cultura da melhor qualidade.