BJD
31 máx 19 min
BragançaPaulista17 Jan 2018


Colunistas


Exposição de Aldo Barreto ‘Diversidade’
Quarta-Feira,  18 MAR 2015
Tamanho dos caracteres

O artista Aldo Barreto está expondo suas telas desde o dia 9 de março, no Museu Oswaldo Russomano, mostra sob o título ‘Diversidade’. Aldo é membro da Associação Bragantina de Artes Plásticas.

Suas telas são, na maioria, paisagens ao estilo acadêmico impressionista, de muito boa qualidade técnica, onde se percebe sua evolução em cores e no modo de pintar, após a influência de técnica adquirida recentemente com o grande artista paulistano, Carmelo Gentil. Percebe-se uma acentuação nos escuros das cores adjacentes, deixando a luz ficar mais intensa nos pontos áureos.

A exposição vai até dia 22 de março e aproveito para recomendá-la. Aldo é advogado criminalista atuante em nossa cidade e exerce, também, paralelamente, a profissão de artista plástico, chamado que é pelo seu talento.

Edital de chamamento da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo

Continuam abertas as inscrições para o Edital de Cadastramento que irá selecionar artistas para se apresentarem na cidade. A iniciativa da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo tem como objetivo fomentar a área cultural da cidade e dar oportunidade para que os artistas bragantinos e da região mostrem seu trabalho e tenham maior visibilidade.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas até 24 de março, na Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

XVI Salão de Humor e Artes Plásticas de Cerquilho-SP

A cidade de Cerquilho estará promovendo o XVI Salão de Humor e Artes Plásticas que a cada edição congrega um número maior de artistas plásticos e desenhistas de todo o Brasil, promovendo uma oportunidade para que artistas, consagrados ou anônimos, possam expressar sua arte. Os artistas deverão participar com obras inéditas.

Cada artista pode inscrever até duas obras (número máximo) em apenas uma das categorias. Lembrando que haverá pré-seleção das obras pela comissão julgadora, conforme disposto no regulamento. Para mais informações acessem o link cadastrocultura@ cerquilho.sp.gov.br. É uma oportunidade para nossos artistas participarem e quem sabe arrebanharem alguma medalha para nossa cidade. Inscrições abertas até o dia 29/03 às 23h59.

Curiosidades sobre artistas e suas obras - Eugène Delacroix

Em 1830 espocou a revolução na França. O povo estava descontente com a opressão que lhe era impingida pelo rei Carlos X, que governava o país.

Despotismo exacerbado. Então, insurgindo-se corajosamente contra o que considerava um arbítrio monstruoso, o povo rebelou-se, vindo a lutar contra a poderosa força do exército do Rei. Nessa luta fratricida, perderam-se muitas vidas, e só cessou quando o rei, vendo-se perdido, abdicou, assumindo assim aquele que todos queriam: Luís Felipe. Muitos valores de cidadania foram reafirmados nessa revolução de 1830, como os da liberdade e da democracia, como primeiras procuras.

Um jovem pintor registrou esse momento que perpassou os tempos, com a magistral obra que lhe perpetuou suas qualidades de um grande pintor e que naqueles dias tortuosos, havia vivenciado. Testemunha partícipe da Revolução: Eugène Delacroix, grava como foi essa Revolução na obra que ele denominou ‘A liberdade guiando o Povo’.

Delacroix retratou a Liberdade, figurativamente alegórica lembrando uma deusa, mas de forma robusta e bem humana, quase máscula, demonstrando sua liderança e força.

Os cadáveres se amontoaram servindo de alfombra por onde, descalça e seios nus, denotando estar despida de vaidades, mas plena de certezas e determinação. A liberdade passa por sobre os cadáveres dos mártires, e conduz o povo à vitória.

O barrete que ela usa é o mesmo que foi adotado na revolução francesa de 1789. A pintura marca o fim da Era do Iluminismo que, à época, influenciara Delacroix, mas que doravante dá início à era do romantismo.

UMA CURIOSIDADE À PARTE: AMIZADE ENTRE DELACROIX E CHOPIN



O extraordinário compositor Frédéric Chopin foi um dos mais íntimos amigos de Delacroix, inclusive o artista fez um retrato do músico. O pintor chegou a colocar um piano em seu estúdio para que Chopin tocasse em suas visitas.

A escritora George Sand (pseudônimo de Amandine-Aurore-Lucile Dupin), que foi amante de Chopin durante nove anos, também era amiga de Eugène. Especula-se que os dois chegaram a ser amantes após a precoce morte de Chopin, causada por tuberculose quando o músico tinha apenas 39 anos. (colaboração de Isnard Câmara de Oliveira)

Djalma Fernandes é Vice-presidente da Associação Bragantina de Artes Plásticas (ABAP); artista plástico; professor de desenho e pintura; comerciante de materiais artísticos e colunista do Bragança Jornal Diário.