BJD
32 máx 18 min
BragançaPaulista16 Jan 2018


Colunistas


Quanta confusão!
Quinta-Feira,  11 ABR 2013
Tamanho dos caracteres

 (...)

Quanta confusão, quando é mais fácil descobrir a Verdade! Basta lançar um olhar em volta de nós para reconhecer que a dor física reina, soberana, em nosso mundo.

A Terra é o verdadeiro purgatório, o inferno temporário.

O sofrimento das almas, na vida do Espaço, só pode ser moral. Ele resulta, dizem os espíritos, da ação da consciência, que se revela imperiosa, até entre as almas mais atrasadas. O espírito sofre, principalmente, pela lembrança de suas existências passadas.

No meio de tantas obscuridades acumuladas pela Igreja, no curso dos séculos, não é estranho que a pobre Humanidade tenha perdido seu rumo e erre, sem bússola, à mercê das tempestades da paixão, da dúvida e do desespero?

Oxalá o Espiritismo venha aclarar, para todos, o caminho da vida. Com ele não há mais afirmações sem provas e, em consequência, sem efeito possível sobre os materialistas.

O Espiritismo repousa num conjunto de fatos e de testemunhos que, aumentando sempre, garante seu lugar na Ciência e lhe prepara um esplêndido futuro. Todas as recentes descobertas da Física e da Química confirmaram suas experiências.

A aplicação dos raios X, os trabalhos de Becquerel e de Curie sobre as maravilhosas propriedades radiantes dos corpos demonstraram, objetivamente, o que os espíritos ensinam há muito tempo, isto é, que existem estados sutis da matéria e formas de vida até então desconhecidas dos sábios.

O Espiritismo não nos revela somente as leis profundas desse mundo invisível ao qual pertencemos, desde agora, pelos elementos essenciais e imperecíveis de nosso ser, ele nos mostra, por toda a parte, a ordem e a justiça no Universo, estabelece as responsabilidades da consciência humana e a certeza das divinas sanções, coisas que exasperam os ateus e perturbam a calma dos gozadores.

Livro: O Espiritismo e o Clero Católico
Léon Denis
Edições CELD – Centro Espírita Léon Denis